news.med.br

Mais acessados

Esfregaços vaginais podem ser usados para prever a probabilidade de partos prematuros

Esfregaços vaginais podem ser usados para prever a probabilidade de partos prematuros

Muitas vezes não sabemos as causas do parto prematuro, mas a análise de substâncias metabólicas no microbioma1 vaginal pode ser uma forma de prever o risco de parto prematuro, apontou um estudo publicado na revista Nature Microbiology. Um modelo usando dados sobre metabólitos2 e raça teve 78% de chance de identificar corretamente se uma amostra era de uma pessoa cuja gravidez3 terminou em parto prematuro ou não. Notavelmente, muitos dos metabólitos2 associados ao nascimento prematuro não foram criados por micróbios ou humanos, mas vinham de uma fonte externa. Os resultados demonstram o potencial de metabólitos2 vaginais como biomarcadores precoces de parto prematuro espontâneo e destacam exposições exógenas como potenciais fatores de risco para prematuridade.
1 Microbioma: Comunidade ecológica de microrganismos comensais, simbióticos e patogênicos que compartilham nosso espaço corporal. Microbioma humano é o conjunto de microrganismos que reside no corpo do Homo sapiens, mantendo uma relação simbiótica com o hospedeiro. O conceito vai além do termo microbiota, incluindo também a relação entre as células microbianas e as células e sistemas humanos, por meio de seus genomas, transcriptomas, proteomas e metabolomas.
2 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
Uma rede cerebral pode estar envolvida em seis condições de saúde mental

Uma rede cerebral pode estar envolvida em seis condições de saúde mental

Distúrbios em uma rede de regiões cerebrais podem estar envolvidos no início de seis condições de saúde1 mental: depressão, ansiedade, esquizofrenia2, transtorno bipolar, dependência e transtorno obsessivo-compulsivo. A alegação vem de uma análise de coleções existentes de dados médicos, com publicação na revista Nature Human Behaviour. As descobertas sugerem que em pessoas sem qualquer problema de saúde1 mental, as regiões posteriores do cérebro3 inibem as regiões frontais, enquanto em pessoas com danos nas regiões posteriores, as regiões anteriores se tornam muito ativas, o que pode levar a doenças mentais e encolhimento do tecido4. Essa rede cerebral convergente para doenças psiquiátricas pode explicar parcialmente as altas taxas de comorbidade5 psiquiátrica e destacar alvos de neuromodulação para pacientes6 com mais de um transtorno psiquiátrico.
1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Esquizofrenia: Doença mental do grupo das Psicoses, caracterizada por alterações emocionais, de conduta e intelectuais, caracterizadas por uma relação pobre com o meio social, desorganização do pensamento, alucinações auditivas, etc.
3 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
4 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
5 Comorbidade: Coexistência de transtornos ou doenças.
6 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
Adesivo antirrugas usa injeções de microagulhas para restaurar a pele

Adesivo antirrugas usa injeções de microagulhas para restaurar a pele

Um adesivo para uso na pele1 com microagulhas que injetam RNA mensageiro (RNAm) reduziu as rugas em camundongos com a pele1 danificada pela radiação ultravioleta (UV), relatou um estudo publicado na revista Nature Biomedical Engineering. Os pesquisadores demonstraram que usar o RNAm para direcionar o corpo a produzir mais colágeno2 – a proteína mais abundante na pele1 – reduz as rugas em camundongos. Esta terapia pode ser útil para tratar outros distúrbios relacionados à perda de colágeno2, incluindo algumas doenças genéticas da pele1 e artrite3. Os resultados demonstram que a entrega intradérmica de colágeno2 por RNAm baseado em vesícula4 extracelular pode ser uma terapia de reposição de proteína eficaz para o tratamento da pele1 fotoenvelhecida.
1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Colágeno: Principal proteína fibrilar, de função estrutural, presente no tecido conjuntivo de animais.
3 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
4 Vesícula: Lesão papular preenchida com líquido claro.
Estimulação cerebral profunda pode reduzir o impacto emocional das memórias

Estimulação cerebral profunda pode reduzir o impacto emocional das memórias

A estimulação cerebral profunda pode ser usada para reduzir a força emocional das memórias de uma pessoa e pode um dia até ajudar a combater o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), de acordo com um novo estudo publicado na revista Nature Human Behaviour. Segundo os pesquisadores, é mais provável que nos lembremos de experiências emocionais do que de experiências neutras, mas a estimulação cerebral profunda usando eletrodos implantados reduz esse efeito da memória. Os resultados apontam que a atividade neuronal na amígdala1 e no hipocampo2 humanos aumenta a codificação da memória emocional. Ao demonstrar como a estimulação direta e os sintomas3 de depressão desvinculam atividade de alta frequência, emoção e memória, mostrou-se o potencial causal e translacional da atividade neural no circuito amígdalo-hipocampal para priorizar memórias que despertam emoções.
1 Amígdala: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
2 Hipocampo: Elevação curva da substância cinzenta, que se estende ao longo de todo o assoalho no corno temporal do ventrículo lateral (Tradução livre de Córtex Entorrinal; Via Perfurante;
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Edição genética por CRISPR pode reparar tecidos danificados após um ataque cardíaco

Edição genética por CRISPR pode reparar tecidos danificados após um ataque cardíaco

Em um estudo publicado na revista Science, pesquisadores acreditam que uma nova terapia de edição de genes, CRISPR-Cas9, pode ajudar a tratar doenças cardíacas e reparar tecidos danificados imediatamente após um ataque cardíaco, de acordo com testes em um modelo de camundongo. Foi usado um RNA guia específico para direcionar o editor de base para o gene CaMKIIδ. O editor de base modificou esse gene para evitar a superativação crônica da proteína do CaMKIIδ, que é uma indutora de doenças cardíacas. O uso da terapia CRISPR-Cas9 para subjugar o gene CaMKIIδ em camundongos ajudou a protegê-los da lesão1 por isquemia2/reperfusão no coração3 devido a doenças cardíacas. Além disso, a equipe descobriu que injetar reagentes de edição de genes em camundongos logo após uma lesão1 por isquemia2/reperfusão os ajudou a recuperar a função cardíaca após danos graves, como um ataque cardíaco.
1 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
3 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
Risco de demência é maior após internação hospitalar com infecção

Risco de demência é maior após internação hospitalar com infecção

A hospitalização com infecção1 aumentou o risco de um diagnóstico2 subsequente de demência3, mostraram dados longitudinais de um estudo publicado no JAMA Network Open. Entre quase 16.000 pessoas acompanhadas por 3 décadas, aquelas hospitalizadas com infecção1 tiveram um risco 70% maior de demência3 subsequente. Por 1.000 pessoas-ano, as taxas de demência3 foram de 23,6 eventos para pessoas que foram hospitalizadas com infecção1 mais cedo na vida versus 5,7 para pessoas que nunca tiveram infecções4 intra-hospitalares. As taxas de demência3 foram significativamente maiores entre os hospitalizados com infecções4 respiratórias, do trato urinário5, da pele6, do sangue7 e do sistema circulatório8 ou adquiridas no hospital. Entre muitos mecanismos teorizados que contribuem para as causas da demência3, a neuroinflamação foi reconhecida como um fator provável.
1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
3 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Trato Urinário:
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Sistema circulatório: O sistema circulatório ou cardiovascular é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.

Elogios, críticas ou sugestões

Seu nome:
Seu email:
Mensagem:

  • Entrar
  • Receber conteúdos